Qual a origem da mascote Eddie?
No início a mascote Eddie (the head, ou a caveira) era apenas uma grande máscara que ficava no fundo do palco nos primeiros concertos, ao lado do logótipo da banda. A grande cabeça era ligada a uma bomba de ar que fazia com que ela fosse capaz de cuspir líquidos que banhavam Doug Sampson, Clive Burr ou quem quer que fosse o baterista. Os fãs deram ao boneco o nome de Eddie The Head, apelido baseado em uma piada bastante conhecida:
 

"Um menino chamado Eddie havia nascido sem braços, sem pernas e sem tronco, sendo apenas uma cabeça. Apesar de sua horrível deformidade os pais gostavam muito dele, cuidavam bem dele e davam-lhe sempre presentes. Quando Eddie fez 16 anos um médico informou os pais que podia dar-lhe um corpo. Os pais ficaram felizes porque o filho ia finalmente ter um corpo e seria uma pessoa normal. Ao chegarem a casa, muito excitados, disseram ao filho "Temos uma surpresa para ti... o melhor presente de todos" ao que Eddie respondeu "Oh não... já sei... outra porcaria de chapéu..."

A cabeça no fundo do palco  tornou-se marca registrada da banda e a quando da assinatura do contrato com a EMI o ilustrador Derek Riggs foi contratado para dar um corpo ao Eddie. A primeira aparição do simpático zumbi foi na capa do single Running Free. Mais tarde a máscara simples no fundo do palco foi substituída por bonecos cada vez maiores que chegam a dezenas de metros de altura e possuem movimentos. Além disso um Eddie de 3 metros de altura (uma pessoa mascarada) costuma participar durante alguns minutos em todos os concertos da banda.

Uma das aparições mais polémicas do Eddie foi na capa do single Sanctuary, em que aparece a matar a primeira ministra inglesa da altura, Margareth Tatcher (a verdadeira donzela de ferro) com uma faca. A capa obviamente foi proibida e gerou uma série de processos contra a banda. Margareth Tatcher aparece novamente na capa do single Women in Uniform, desta vez a espera do Eddie com uma metralhadora em punho.
A última grande polémica em o Eddie se meteu até o momento foi uma imagem promocional em que ele aparece a segurar a cabeça arrancada de Ozzy Osbourne, uma alusão à célebre cena em que Ozzy arrancou às dentadas a cabeça de um morcego em pleno palco. Os fãs do grupo não gostaram da piada e o grupo teve de tirar a imagem de circulação.

Um facto curioso (entre tantos outros) sobre as capas dos discos e sobre Eddie, é que a maioria das capas apresenta uma ordem cronológica. A partir da capa de Piece of Mind, por exemplo, Eddie teve o cabelo rapado e foi lobotomizado, teve a cabeça aberta e depois fechada com alguns parafusos. Os parafusos aparecem em praticamente todas as gravuras a partir de então.Na capa de Powerslave, Eddie é sepultado numa grande pirâmide (Powerslave) e ressuscita (Live After Death), além de outras importantes capas.  Já na capa do single  Two Minutes to Midnight o Eddie aparece com um tapa-olho como se tivesse perdido um lado da visão e nas capas seguintes o olho que falta é substituído por um olho biônico (a partir da capa de Somewhere in Time).
Uma curiosidade pouco notada... na lápide da gravura do álbum Live After Death consta o nome verdadeiro
do Eddie
Numa lápide da sua sepultura estava escrito, juntamente com um texto de H. P. Lovercraft, Edward T. Head (Edward A Cabeça).

Ao longo dos anos as mudanças físicas de Eddie não pararam, no palco o seu boneco ia se tornando cada vez mais alto e sofisticado. Na época de "Somewhere In Time", ele mudou bastante, tinha um visual estilo Exterminador do Futuro. Essa transformação culminou com a reformulação total da parte inferior do corpo de Eddie em "Seventh Son Of A Seventh Son".

Principalmente a partir do início da década de 90 os fãs e os próprios Iron Maiden começaram a ficar insatisfeitos com a forma e a maneira que Derek desenhava. Um dos poucos desenhos dessa época que se igualavam aos antigos é a capa do single "Bring Your Daughter To The Slaughter". Por isso o grupo começou a deixar alguns dos desenhos a cargo de outros artistas, a capa do álbum "Fear Of The Dark" foi feita por Melvyn Grant. Para "The X Factor", Hugh Syme criou um Eddie totalmente gerado por computador, mas as reacções adversas por parte da maioria dos fãs trouxeram Derek Riggs de volta para elaborar as capas de "Vírus" e "The Best of the Beast".

As ilustrações das capas e as novas aparições de Eddie são sempre tão aguardadas quanto as novas músicas. Eddie atingiu o top em "Ed Hunter", um espectacular jogo de computador criado pela Synthetic Dimensions em que ele é a estrela.